20/09/2019 | 27/09/2019 | 04/10/2019 | 18/10/2019

FAPCOM - Rua Major Maragliano, 191 - Vila Mariana, São Paulo (SP)

100 vagas ( Não há mais vagas disponíveis )

Gratuito

Credenciamento das 08:30 às 08:45

Almoço das 12:30 às 13:30

(11) 5081-7420 | social.com@paulus.com.br

Inscrições de 10/09/2019 a 21/09/2019.
(enquanto houver disponibilidade de vagas).
Emitiremos certificados.

Público alvo: Trabalhadores da Assistência Social, preferencialmente profissionais que atuem em Serviço de Acolhimento.

DESCRIÇÃO DO EVENTO

Apresentação

O trabalho na Assistência Social requer constante análise e discussão das práticas que executamos no atendimento para defesa e garantia de direito dos usuários. Neste sentido, o curso tem como premissa discutir o cotidiano e construir instrumentos propulsores do trabalho de equipes que atuam na assistência social e especialmente na  proteção especial de alta complexidade, discutindo a realidade e dificuldades desta atuação, mas principalmente as potencialidades do trabalho e como desdobramento qualificado e garantia de direitos.

Durante o percurso buscaremos repensar estereótipos acerca do fazer e da atuação  e dos profissionais que atuam em serviços de acolhimento institucionais, a fim de fortalecer estes trabalhadores da assistência e construir estratégias para execução do Serviço neste espaço de atuação. É relevante pontuar que profissionais que atuam no sistema de garantia de direitos e nos diversos equipamentos que compõem a rede de serviços são regidos por um Estado que desconsidera as particularidades, sendo imprescíndivel reavaliar nossas ações e atitude frente a esta realidade.

Nos encontros abordaremos temáticas pertinentes ao serviço de acolhimento, objetivando a instrumentalização dos profissionais para construção de metodologias e possibilidade de trabalho em serviços de acolhimento, repleto de desafios e contradições em seu fazer diário. Outrossim, a legislação concernente ao serviço de acolhimento será abordada, além da discussão sobre os entraves para realização do trabalho, contudo, sempre na perpectiva de avançarmos e construirmos estratégias de enfrentamento e eficácia das ações profissionais.

Serão propostas reflexões, discussões e análises a partir das ferramentas disponíveis e outras que agragaremos ao longo do percurso trabalhado durante o curso,  desta forma, facilitando o fortalecimento das práticas existentes, bem como, a construção de novas possibilidades de realização do trabalho.

O Cotidiano de trabalho é terreno fértil, propício para reflexão do nosso fazer diário, com compromisso de fazermos o novo frequentemente, sendo esta uma imposição do serviço de acolhimento.

Objetivo

Gerais:
Discutir o cotidiano e instrumentalizar os participantes para lidar com questões singulares e expressões da questão social materializada no acolhimento institucional;

Específicos:

  • Promover uma análise e reflexão fora dos padrões estabelecidos para pensarmos o acolhimento institucional “fora da caixinha”;
  • Promover espaços reflexivos com vistas à construção  de estratégias eficazes no fazer diário em serviços de acolhimento;
  • Repensar concepções, qualificar a prática e fortalecer os participantes para os desafios diários impostos por um serviço que não acidentalmente está na Proteção Social Especial de Alta Complexidade.

Metodologia

Encontro 1 – Apresentação e alinhamento conceitual do arcabouço teórico-legislativo. Limites e possibilidades na atuação dos diversos profissionais em serviços de acolhimento e o cotidiano do trabalho; Acolhida e percursos individuais de atendimento.
Encontro 2 – Imersão no cotidiano de trabalho do acolhimento institucional. Relatórios e funcionalidade da equipe de trabalho.
Encontro 3 – Famílias, convivência familiar e comunitária e as possibilidades metodológicas de intervenção no trabalho social com as pessoas vinculadas aos atendidos pelo serviço. Violências contra crianças e adolescentes: uma perspectiva social.

Programação

  • Alinhamento conceitual e legislação;
  • Modalidades de acolhimento institucional, alternativas e especificidades;
  • Relatórios, Plano Individual de Atendimento e trabalho em equipe;
  • O cotidiano do Serviço de acolhimento;
  • Atuação dos diversos profissionais no serviço, limites e possibilidades;
  • Trabalho com crianças e adolescentes em instituição de acolhimento e suas famílias.

Bibliografia

AFONSO, Maria Lúcia M. e ABADE, Flávia Leme. Para Reinventar a Roda. Belo Horizonte, Recimam, 2008.
AZAMBUJA, Maria R. F. A Criança, o Adolescente: Aspectos Históricos. (disponível). https://www.mprs.mp.br/areas/infancia/arquivos/aspectos_historicos_maregina.doc.
BRASIL. Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social, 2012.
BRASIL. Orientações Técnicas para o Serviço de Acolhimento para Crianças e Adolescentes. Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social, 2009.
COSTA, Antônio Carlos Gomes da. Por uma pedagogia da presença. São Paulo: Global, 1999.
FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à Prática Educativa. 30. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
FERRARI, D.C.A. e VECINA, T.C.C. (orgs.) O fim do silêncio na violência familiar – Teoria e Prátrica. 4ª. Ed. São Paulo: Ágora, 2002.
FRANÇA, M. C. Violência Estrutural. Enfrentamentos para o Serviço Social? Revista intertemas V.5, p. 1-21, 2009. Disponível: http://intertemas.toledoprudente.edu.br/revista/index.php/ETIC/article/view/2596/2302.
MIOTO, Regina Célia Tamao. Familismo direitos e cidadania - contradições da política social. São Paulo, Cortez, 2013.
SILVA, Roberto da. Filhos do Governo. São Paulo, Ática, 1998.

DIAS DE CURSO

20/09/2019

Início ás 08:30

Fim aś 17:30

100 Vagas

27/09/2019

Início ás 08:30

Fim aś 17:30

100 Vagas

04/10/2019

Início ás 08:30

Fim aś 17:30

100 Vagas

18/10/2019

Início ás 08:30

Fim aś 12:30

100 Vagas

PALESTRA DO EVENTO

Acolhimento Institucional – O Inédito Viável

08:30 ÀS 17:30

Durante o curso buscaremos repensar estereótipos acerca do fazer e da atuação e dos profissionais que atuam em serviços de acolhimento institucionais, a fim de fortalecer estes trabalhadores da assistência e construir estratégias para execução do Serviço neste espaço de atuação. É relevante pontuar que profissionais que atuam no sistema de garantia de direitos e nos diversos equipamentos que compõem a rede de serviços são regidos por um Estado que desconsidera as particularidades, sendo imprescíndivel reavaliar nossas ações e atitude frente a esta realidade.


Magda Pereira Duarte Araújo

Pós-Graduação em Trabalho Social com Famílias pela FAPSS;
Graduação em Psicologia (2018);
Coordenadora de Programa Social (2013-2017);
Técnica em Serviço de Acolhimento Institucional (2009-2013);
Professora de Psicologia Rede Pública (2002-2008);
Psicoterapeuta (2002-2010);

LOCAL

FAPCOM - Rua Major Maragliano, 191 - Vila Mariana, São Paulo (SP)


Realização: